29 julho, 2012

cap. 15 - "Sim"

"- Acho que já sei o que vem daí... Mas desembucha linda - Respondeu-me Andreia sempre disposta a ajudar-me
- É que... Bem o David pediu-me para ir ter com ele hoje, mas eu não sei se hei de ir...
- Ju, vai! Fala com ele, resolvam as coisas e não fujas! Vê no que as coisas dão e depois pensa só no presente, não no que aconteceu nem no que pode vir a acontecer...
- Mas e se ele já não me quiser ver?
- Ju, já estás a inventar desculpas... 
- Não estou a inventar desculpas nenhumas, mas é verdade... Ele já deve ter desistido
- O David não vai desistir, não depois do que ele ouviu ontem da tua boca
- Estiveste a falar com ele? 
- Sim, estive eu e o Ruben... 
- Achas que eu deva ir? 
- Vai e não tenhas medo como já te disse... Mas agora tenho que desligar, vou jantar fora com o Fábio e vou-me arranjar
- Tenham uma boa noite e portem-se mal! - Disse visivelmente a gozar com ela
- Ah-ah que piada! Beijos e pensa no que te disse"

Assim que Andreia me desligou o telemóvel, não foi preciso pensar muito para me decidir no que iria fazer.

- Não sejas cobarde! Vais lá e falas com ele, é só falar não é nada de mais! - Disse para mim própria tentando-me convencer que não era nada demais. E talvez fosse isso mesmo.

Peguei no meu telemóvel e nas chaves de casa, pu-los na mala e saí de casa, apanhei o autocarro e depois o metro e em 20 minutos já estava no hospital.

- Olha desculpe, será que é possível ir visitar o David Luiz que se encontra no quarto 223? - Pedi á senhora já de idade que se encontrava na recepção


- A menina chama-se Juliana Seabra certo? - Perguntou-me com um sorriso doce no rosto


- Sim sou eu, mas como sabe? - Perguntei numa tentativa de saber como é que a senhora sabia o meu nome


- O menino David tem estado o dia todo á sua espera... Pode subir - Disse-me apontando para o elevador 


- Ah, muito obrigada - Sorri-lhe e continuei o meu caminho até entrar no elevador

De repente um nervoso miudinho apoderou-se de mim. Perguntava-me como iria correr a conversa e no que iria dar. Não demorei muito mais tempo a chegar á porta do seu quarto até porque fui num passo bastante apressado. Quando cheguei á porta do seu quarto ainda hesitei por uns segundos, não sabia se continuava ou se voltava para trás. Acabei por me lembrar das palavras da Andreia e entrei no quarto onde David se encontrava deitado com um ar aborrecido e com um comando na mão a fazer zapping. Assim que entrei David olhou-me e sorriu-me com o seu sorriso contagiante e lindo que eu tanto gostava

- 'Cê veio... - continuava com aquele sorrisão

- É, parece que sim - Ao contrário de David, não consegui sorrir, estava demasiado nervosa

- Fiquei pensando que não vinha 


- Por momentos também eu - Vi o seu sorriso a desaparecer, não era isso que eu queria e um enorme sentimento de culpa apoderou-se de mim. - Desculpa... - Acabei por pedir na esperança que me fizesse sentir melhor, algo que não chegou a acontecer.

- Não tem mal - Não lhe respondi, não sabia o que dizer. Ficamos em silêncio e eu continuava encostada á porta - 'Cê vai ficar ai para ser mais fácil fugir? - Aquela pergunta irritou-me, eu não iria fugir mais vez nenhuma. Eu tinha ido ao hospital com o intuito de resolver as coisas entre nós, mas talvez não desse, talvez não estivesse destinado a ser.

- Talvez seja por essa tua estupidez que eu não vim mais cedo e nem te procurei durante este tempo todo - Não falei de modo rude nem brusco, mas foi o suficiente para David desculpar-se

- Desculpe... Acabei falando da boca para fora 


- Parece que ultimamente é o que mais fazes... 


- É daqui a nada também a culpa é toda minha! Você é que andou a beijar o outro! 


- Olha David se é para isto vou-me já embora! Vim aqui para resolver as coisas, mas já vi que isso é algo impossível... 


- Não vá, por favor! Desculpe... - Desculpou-se mais uma vez David

- Estou cansada que peças desculpa, afinal o que queres? Tanto como pedes desculpa como me atiras á cara o que aconteceu com o Diogo, eu já te expliquei que estava bêbeda 


- E ele? Tava? 


- Se ele estava ou não, não é para aqui chamado..


- Você não me respondeu... 


- O que tem se ele estava bêbedo ou não? Estamos aqui para falar de nós, não do Diogo... E eu, não gosto do Diogo! - David manteve-se em silêncio e passado um bocado falei - Mas e porque é que tudo tem que se basear no Diogo?!


- Porque ele beijou você!! - Disse David elevando um bocado a voz e fazendo um gesto estranho com as mãos.


- E eu já te expliquei que aquilo não foi nada!! Mas afinal qual é a tua cena David? Não me és nada, porque isto tudo com o Diogo? 


- Você não percebe pois não? - Quando David ia a entrar uma enfermeira entra no quarto para a medicação de David. Eu fiquei sentada em silêncio sempre atenta aos seus movimentos, não demorou muito tempo até a enfermeira sair e assim que ela saiu um silêncio enorme invadiu a sala. Esperei que David continuasse, mas ele não o fez.

- Tens estado bem? - Aquela pergunta era um bocado, grande, fora do contexto. Mas eu não sabia o que fazer ou dizer

- Sim, devo ter alta já amanhã de manha...

- E depois?

- Depois fico em repouso durante duas semana... Amanha 'cê vem jantar comigo? - David mudou de assunto muito rápido e pediu-me pegando na minha mão e acariciando-a

- Amanha? Não é suposto ficares em repouso? - Eu queria, mas também estava preocupada com ele

- É só um jantar... 'Cê vem?

- Sim... - Acabei por dizer passado algum tempo em silêncio a ponderar se iria ou se não. Não fazia mal nenhum, era só um jantar... Pelo menos, eu tentava mentalizar-me desse modo. Assim que aceitei o convite na cara do David abriu-se um sorriso do tamanho do mundo, um sorriso que eu dava por mim a querer ver cada vez mais frequentemente e a amar cada vez mais.

- Então depois amanha pego você ás sete e meia tá bom p'ra você?

- Sim, saio das aulas ás seis dá tempo... - Sorrimos os dois ao mesmo tempo e perdi-me nos seus olhos castanhos esverdeados - E vamos jantar onde? - Perguntei quando despertei do meu transe

- Não digo não! - David continuava com aquele sorriso irresistível na cara

- Oh vá lá! - Disse fazendo beicinho

- Não seja curiosa! Para que quer saber?

- Ahhhh... Para... Para... Então! Para saber o que vestir! - Disse a primeira coisa que me veio á cabeça, não foi muito convincente, mas pronto... David riu-se com a minha desculpa esfarrapada

- Se é por isso vista algo bonito, algo ainda mais bonito do que costuma usar no seu dia-a-dia! - Entretanto o meu telemóvel toca, fiz um sinal ao David para esperar e atendi


"- Fala princess - Disse assim que vi que era Inês 
- Onde andas? Saíste da escola á pressa, eu e a Mariana estamos fartas de te mandar mensagem e tu nada!  
- Vim ver o David... Mas o que queriam? 
- Era mesmo por causa dele que queríamos falar contigo! 
- E o que tem? 
- Achas que podes vir ter connosco ao Colombo? Jantamos aqui e depois falamos... 
- Connosco quem? 
- Eu e a Mariana duuh! 
- Ah, sim está bem... Encontramo-nos onde? 
- Nós estamos á frente do burger king 
- Então eu já vou ai ter com vocês... Beijos" 

- David, eu tenho que ir embora... Depois amanha fico á tua espera está bem? - Perguntei assim que desliguei a chamada com Inês

- Tudo bem... Mas olhe? Me dá seu numero? - Ia responder mas David interrompeu-me - Para depois me dizer a sua morada... 

- Sim, não é preciso justificares, tens algum sítio onde possa apontar? - Ele estendeu-me o seu telemóvel que estava numa pesa ao lado da sua cama e eu apontei lá o meu numero - Pronto, agora é só guardares - Dei-lhe o telemóvel - Mas agora tenho que ir, até manha! - Disse já quando estava a porta do quarto

- Tá bom, até manha se cuide! - Sorri-lhe como resposta

Como estava perto do Colombo, decidi ir aquele caminho a pé e em menos de dez minutos já estava na zona de restauração á procura da Mariana e da Inês, não tive que as procurar muito tempo porque avistei-as rapidamente. Antes de me juntar a elas passei pelo burger king e fiz o meu pedido.

- Então... Tu e o David... - Começou a Inês quando me sentei

- É, o que se passa entre vocês os dois? - Continuou a Mariana

Sabia que não podia fugir mais, o momento tinha chegado. Teria que lhes contar o que se andava a passar ultimamente e sabia que se fugisse elas arranjariam maneira de me pôr estre a espada e a parede... E elas eram as minhas melhores amigas e tinham o direito de saber a verdade.

- Não se passa nada entre nós os dois... - Aquela era a verdade, não se passava entre nós os dois!

- Sim, e nós somos o pai natal disfarçadas de raparigas! - Ironizou Inês

- Estou a falar a sério, não se passa entre nós os dois, pelo menos não da maneira que estão a pensar... 

- Então de que maneira? - Perguntou logo a Mariana

Contei-lhes tudo o que se passava, contei-lhes o quase beijo entre mim e o David e quando eu fugi, o que se tinha passado com o Diogo e que o David tinha visto, a minha conversa com o David de manha e depois quando Diogo se declarou a mim, contei-lhes depois a conversa que tinha tido com o David mais tarde, também contei a conversa que tinha tido com Ruben e Andreia no dia anterior e por fim contei o que se tinha passado á minutos atrás.

- Calma lá! O Diogo gosta de ti?! - Perguntou Inês bastante chocada

- Pelos vistos parece que sim, mas também me parece que aqui a única chocada com isso és tu... - Disse referindo-me já para Mariana e tanto eu como Inês ficamos a olhar para ela

- O Diogo já me tinha dado a entender isso e então com este vosso afastamento isso confirmou tudo, por isso é que tenho insistido para falares com ele... - Explicou-se Mariana

- Eu já lhe mandei imensas mensagens, ele é que nunca responde 

- Mas tu gostas do David? - Perguntou-me Inês

- Não sei se gosto do David e mesmo que gostasse seria algo impossível!

- Impossível porque? Se tu gostas dele e suponho que ele também goste de ti por tudo o que disse e fez, não é impossível - Disse Mariana

- Mas ele é de um mundo completamente diferente do meu e as coisas acabam por ser mais complicados do que as pessoas pensam

- Talvez tu é que estejas a tornar as coisas mais complicadas do que são... Ju, tu sabes que eu gosto muito do Diogo, mas se é com o David que te sentes realmente feliz porque não aproveitas? 

- Porque as coisas não são bem assim Mariana...

- Talvez sejam! Nós já tínhamos visto como vocês olham para os outros e reparamos na felicidade com que chegaste ao bar quando passaste o dia com ele! Permite-te ser feliz, porque tu mereces, mesmo que penses que não! - Interveio também Inês.

- E o David não é igual ao Rodrigo... - Acabou Mariana

- Eu sei que não... Mas tenho medo que no fim me magoe, que a minha vida esteja exposta em tudo o que é capa de revista, tenho medo que ele acabe por encontrar alguém melhor que eu e se farte de mim, tenho medo dos longos períodos em que ele vai para fora... Não sei...- Acabei por admitir tudo aquilo pelo que eu receava

- Não tenhas medo, se ele gostar realmente de ti nunca te vai fazer isso! E quanto ás revistas é uma questão de terem cuidado - Disse Inês

- Talvez... Mas amanhã vou jantar com ele, depois logo vejo no que as coisas dão... 

- Não recues e tem calma... Ele parece ser uma grande pessoa - Comentou Mariana

Continuamos a conversa durante algum tempo até que cada uma foi para sua casa. Mal cheguei a casa fui para o meu quarto, vesti uma camisola larga e umas leggings - que era quase sempre os meus pijamas - deitei-me na cama a ler o meu livro quando sinto o meu telemóvel a vibrar, peguei-o para ver de quem era e reparei que era um numero desconhecido.

4 comentários:

  1. Olá : )
    Gostei muito!
    Continua ;)
    Beijinhos
    Ritááá xD

    ResponderEliminar
  2. Olá!
    Cheira que o namoro entre a Juliana e o David está mais perto (espero bem que sim!).
    Agora quero de saber de quem era a mensagem apesar de ter um palpite.
    Bjs Tânia

    http://talvezumdiatedigamote.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. fantastico...

    quero mais... tou super curiosa para ver o proximo...

    continua...

    ResponderEliminar