22 julho, 2012

cap. 14

- Não se vá embora... - Ouvi David dizer ainda meio a custo devido ao efeito dos sedativos. 

Ouvir aquela voz fez-me parar, ainda de costas fechei os olhos e dei um sorriso discreto. Estava feliz por ouvir aquela voz e saber que finalmente estava acordado. Voltei e encostei-me á porta sem nunca me aproximar dele

- Já acordas-te... - Constatei o óbvio com um sorriso na cara e David também sorriu - Sentes-te bem? - Não pude evitar a minha preocupação

- Dói-me só um pouco a cabeça... 

- Mas queres que eu vá chamar o médico? 

- Não, quero que fique aqui comigo... 

- Ouviste o que eu disse? - Perguntei meio a medo da sua resposta

- É, parece que sim... - David respondeu e notei que David sorriu ligeiramente com o canto direito do seu lábio a elevar-se um pouco

- Bem, eu vou chamar o médio e também tens pessoas lá fora que estão desejosas de te ver - Voltei a virar as costas com o intuito de fugir

- Eu não quero falar com elas, quero falar com você! - Voltei a virar costas para ele - Não fuja mais uma vez... - Pediu olhando-me nos olhos

- David, vou chamar o médico e depois vais ver as pessoas que te amam e que estão preocupadas contigo

- Oh... Amanhã volta por favor? Para falarmos... - Mais uma vez, David pediu olhando-me com aqueles olhos lindos 

- Não sei... - Acabei por responder passado alguns segundos em silêncio - Amanha tenho aulas, depois vejo... Cuida de ti! 

Virei costas sem lhe dar tempo para me dizer mais alguma coisa, sabia que se ele pedisse mais uma vez eu iria acabar por não lhe resistir e acabaria por dizer que iria ter com ele, coisa que eu não sabia se ia fazer ou se não. Antes de voltar para junto deles chamei o médico e depois juntei-me a eles e Ruben mal me viu veio em minha direção

- Então? - Entendi perfeitamente o sentido daquele "então" mas mesmo assim, preferi responder-lhe com outro assunto

- Ele já acordou, o médio foi lá mas ele diz que o podem ir visitar á mesma... Podem ir dois a dois!


- Não me referia a isso...


- Eu entendi, mas se quiseres saber alguma coisa vai falar com ele... Bem pessoal, eu vou-me embora que amanha tenho aulas! - Disse esta ultima parte já mais alto para todos ouvirem

- Espera só um pouco Ju, deixa-nos ir ver o David que depois vamos os três juntos... E a esta hora já é tarde para ires de metro! - Respondeu-me Márcio

- Eu não vou morrer se for agora de metro, até porque estou super cansada e não quero que estejam a apressar as visitas, até porque eles estão a abrir uma enorme excepção porque a esta hora ele não devia estar a receber ninguém. Por isso vocês ficam ai que eu vou para casa, já é tarde e como disse estou cansada - Depois de falar despedi-me de todos com um beijinho no rosto e pus-me a caminho para fora do hospital.

Quando já tinha saído do hospital ouvi alguém a correr apressadamente e a chamar o meu nome, olhei para trás e vi Andreia, parei e esperei que ela chegasse até mim

- Ena rapariga já te estou a chamar á imenso tempo! - Reclamou enquanto acalmava a respiração

- Oh desculpa, estava distante... - Os meus pensamentos estavam no David e na nossa pequena conversa

- Estavam num quarto de hospital? - Perguntou Andreia sempre muito perspicaz. Era impressionante como para Andreia eu era transparente e isso só o era para Diogo.

- É,  parece que sim... - Não valia a pena mentir-lhe, ela já o sabia

- Anda, eu levo-te a casa e aproveito e falo contigo...


- Não é preciso a sério, é só uma estação no metro e depois um autocarro...


- Sim, mas já se faz tarde e não me incomodas... Até porque como disseste eles ainda são alguns e ainda volto a tempo...

- Oh, esta bem... - Sabia que não valia a pena contrariá-la por isso acabei por aceitar

- Como tens estado? - Perguntou Andreia depois de ligar o carro


- Bem... 


- Não foi muito convincente


- Eu não ando mal, a sério que não... Ando distante só... As coisas estão confusas para o meu lado


- O David contou-me que tu e o Diogo se tinham beijado... 


- Mas ele não quer contar a mais pessoas?! - Acabei por perguntar meio chateada, perguntava-me quem mais saberia... 


- Está descansada que ele só falou comigo e com o Ruben, esta história toda bateu-lhe forte...


- Eu e o Diogo beijamo-nos mas não passou disso... Além do mais eu estava bêbeda e eu já disse isso ao David, ele é que preferiu julgar-me em vez de me tentar perceber


- Ele disse aqui... 


- Aquilo da boca para fora e ele ás vezes diz as coisas sem pensar - Acabei a frase de Andreia - Sim eu sei e já tive esta conversa com o Ruben... Andreia - Fiz uma pausa, suspirei e virei-me mais para ela - O David apenas se deitou na cama que fez... Eu não queria estar assim com ele, a sério que não. Mas ele também não tinha o direito de me julgar e chamar-me de interesseira! 


- Eu entendo-te e tens toda a razão, mas será que não lhe podes dar uma segunda oportunidade? Toda a gente merece uma...


- Eu sei disso, a sério que sei... - Sabia o que eram segundas oportunidades, muita gente tinha-me dado uma - Mas não sei se valerá a pena... 


- Como assim? 


- Somos de mundos tão diferentes... 


- Mundos diferentes completam-se


- Andreia... Eu não sou ninguém percebes? Eu não tenho o passado perfeito... Aliás, estou longe de ser perfeita... O que é que ele foi ver em mim? Não sou nada como vocês, não tenho nada... 


- Mas porque é que pensas assim? O David interessou-se por ti, tal como és por dentro e não por fora... Até porque nem sei o porque dessa insegurança tu és linda e tens um corpo invejável... 


- Mas somos de mundos diferentes! - Voltei a repetir - E ás vezes, eles não se completam... 


- Acho que estás a ser casmurra e a ver problemas onde eles não existem...


- E eu acho que o simples facto de ele ser o David Luiz ajuntando-se ao simples facto de ele me achar interesseira são problemas... 


- Ele é o David Luiz dentro das quatro linhas, fora é o David, uma pessoa completamente igual a ti e a mim e a todos os outros... O David já passou por muito, ver-te a beijar o Diogo depois o que se passou entre vocês fez-lo recordar o passado 


- Para mim, dês que o conheci que não vejo o David Luiz, vejo sim o David... Mas as outras pessoas não são assim! O ele ter passado por muito ou não, não significa que ele me possa comparar ao seu passado! 


- Tens toda a razão, mas ele está arrependido... Dá-lhe outra oportunidade, não te vais arrepender! Nem que seja só como amigos.... - Íamos á conversa e eu ia-lhe dando as indicações da minha casa, assim que chegamos Andreia ficou "chocada" por ver que era um bairro social - Moras aqui? 


- Sim e acredita que não trocava isto por nada! 


- Mas não acaba por ser conflituoso ás vezes? - Andreia estava a falar como que a medo que eu levasse a mal - Nem acaba por levar pessoas por caminhos mais errados? 


- Não é conflituoso, aqui praticamente toda a gente se conhece. Claro que há aqueles desacatos, mas isso é normal... Tanto se leva as pessoas por caminhos mais errados num bairro social como num local de ricos... 


- Alguma vez foste por esses caminhos? 


- Infelizmente já... Meti-me nisso porque não queria perder o rapaz a quem eu achava que amava na altura, acabei por estragar a minha vida foi o que foi! Mas felizmente consegui abrir os olhos antes que fosse tarde de mais, acho que a morar num bairro destes tem-se mais a noção do que acontece se seguires esses caminhos...


- Como assim? 


- Por exemplo, eu moro na parte velha do bairro, como podes ver esta parte são casas térreas e depois mais para a frente já tens os prédios... Na parte onde eu moro é mais as pessoas antigas do bairro e como é lógico as drogas não vêm dos tempos de hoje, então conheço muitas pessoas que já morreram devido a esses caminhos, que agora estão estragadas por causa disso. Aqui acabasse por ter mais a precessão de onde esses caminhos nos podem levar


- Tu acabaste por ter... 


- Sim, mais vale tarde do que nunca! Arrependo-me de ter feito o que fiz, mas talvez sem isso não me tinha tornado a pessoa que era hoje... 


- Se pudesses mudar alguma coisa, o sitio de morar era uma delas? 


- Não! Acredita que não... Por exemplo, no sitio onde tu moras conheces muita gente? 


- Não... Só tenho a relação de bom-dia e boa-tarde com os vizinhos do lado


- Vez? É a isso que me refiro, aqui praticamente toda a gente se conhece... Passas na rua e sabes quem é, sabes o seu nome e onde mora... Acabasse por interagir mais! Se bem que depois também existem os correios da manha - Rimos as duas com a minha expressão

- Como assim? Correios da manha? 


- Sabes quando espirras e segundos depois já toda a gente sabe? Bem, aqui é assim mas com a tua vida privada... - Rimos as duas. - Mas bem, eu vou para casa e tu vai lá ter com o teu principe senão ele ainda me mata! - Disse referindo-me a Fábio

- Não te mata nada, ele simpatizou contigo... Aliás, todos simpatizaram! 


- Bem, presumo que isso seja bom...


- Sim, é! 


- Pronto... Mas vá, eu vou embora até manha - Despedi-me de Andreia com dois beijinhos e segui para minha casa enquanto ela seguiu para o hospital.

Assim que cheguei a casa, fui vendo pelas divisões da casa se a minha mãe já tinha chegado, algo que ainda não tinha acontecido. Olhei para o meu relógio e reparei que já eram quase onze da noite, ela devia estar a chegar... Subi até á casa de banho onde me despi e tomei um banho rápido pois estava cheia de sono, voltei para o meu quarto, vesti o pijama e mal que me deitei adormeci.

Acordei no dia seguinte com o habitual despertador do telemóvel, desliguei-o e voltei-me para o outro lado com o intuito de voltar a dormir mas o facto de ter o despertador de cinco em cinco minutos tornou essa tarefa algo impossível. Depois de estar naquela do desliga e liga o despertador, levantei-me e fui arranjar o cabelo, ia passando as minhas mãos molhadas pelos caracóis e depois pus o produto que sempre punha para definir os caracóis. Voltei para o quarto e vesti-me


Pus as coisas necessárias na mala e desci para baixo para ir tomar o pequeno almoço. Preso ao frigorifico com um íman em forma de borboleta estava um bilhete da minha mãe


"Filha, a mãe ontem chegou tarde e hoje também vou chegar... E como já deves ter reparado saí também mais cedo... As coisas andam atarefadas, mas não te preocupes... Tens dinheiro em cima da mesa. Beijos, a mãe ama-te!" 


Bem, a verdade era que aquilo de ela quase nunca estar em casa não era novidade nenhuma, mas pronto... Guardei o dinheiro na carteira e depois de comer e receber a habitual mensagem da Mariana a dizer que já estavam á minha espera saí de casa. Andei o dia todo na lua, ou mais propriamente com os meus pensamentos no David e a pensar se deveria ir ou não ter com ele... Assim que deu o ultimo toque do dia, que era ás seis da tarde, despedi-me deles e fui logo para casa.

Não sabia o que fazer, se por um lado queria ir ter com David e resolver as coisas por outro tinha imenso medo no que a conversa poderia dar... Depois de algum tempo a pensar e sem chegar a nenhuma conclusão, decidi ligar a alguém que eu tinha a certeza que me iria ajudar!

"- Preciso da tua ajuda... - Disse assim que a pessoa me atendeu"

4 comentários:

  1. Olá!
    Alguma coisa me diz que o namoro entre esses dois está perto. Espero bem que sim né!
    E agora fiquei curiosa. Quem será a pessoa que esta ao telefone com a Juliana?
    Mas já sei que tenho de esperar.
    Bjs Tânia

    http://talvezumdiatedigamote.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Olá :)
    Isto é lá maneira de acabar?????
    :P
    Quero mais e rapidinha ;)
    Beijinhos
    Rita
    http://lifegoesonr.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. fabuloso...

    quero mais... tou super curiosa para ver o proximo...

    continua...

    ResponderEliminar
  4. Fantastico...
    estou curiosa para o proximo capitulo.
    continua...

    ResponderEliminar