16 agosto, 2012

Cap. 22 - " Vocês estavam super bem..."


Ao ouvir o tom de voz de David, sabia que ainda iria ter uma longa conversa com ele até perceber que não ia fazer nada de mal...

- David, vou fazer exatamente o que te disse, até porque já o devia ter feito logo quando contei aos outros...

- Mas porque? 'Cê não lhe deve explicações nenhumas

- Ai é que te enganas! O Diogo sempre esteve do meu lado, nunca me abandonou e sempre me apoiou em todas as decisões... Estou-lhe a esconder uma grande parte da minha vida e a minha felicidade...

- Mas ele gosta de você!

- Uma coisa não invalida a outra, o Diogo é o meu melhor amigo! E eu já não falo com ele á imenso tempo...

- E é preciso ficar lá o fim de semana?

- David, a minha decisão já está tomada, quer tu gostes ou não...

- É mesmo assim que quer?

- David...

Ele não me respondeu mais, como já tínhamos chegado limitou-se a sair do carro e a deixar-me ali sozinha... Tive que respirar fundo algumas vezes para não me passar, saí do carro e nem me dei ao trabalho de o chamar, se ele queria amuar que amuasse sozinho. Entrei dentro do restaurante e já estavam todos sentados, inclusive David com a sua cara de poucos amigos... Havia dois lugares ainda disponíveis, um ao lado de David e outro no canto da mesa, como era obvio não seria por aquilo que não me iria sentar ao pé de David por isso caminhei para a cadeira que estava ao seu lado.

O jantar estava a correr bem, dentro dos possíveis, mas no entanto já toda a gente tinha percebido que entre mim e o David se passava alguma coisa mas ninguém se atrevia a perguntar alguma coisa... Durante o jantar tanto eu como David íamos falando com os outros normalmente mas não entre nós. A única vez que David me dirigiu a palavra foi para dizer que íamos embora... Revirei os olhos e despedi-me de todos enquanto ele já tinha saído do restaurante, Ruben chamou-me á parte

- O que ele tem? - Perguntou-me - Vocês estavam super bem...

- Pois estávamos mas o teu melhor amigo decidiu amuar porque eu disse-lhe que ia passar o fim-de-semana á costa para falar com o Diogo!

- Ju, por um lado ele tem razão... É preciso ires lá passar o fim-de-semana?

- Por amor de Deus! Nem dois dias são, vou amanha á tarde e volto no domingo de manhã! E para além disso ele não tem motivos para estar assim

- Talvez não tenha, mas tu gostavas se ele fosse falar com a Carolina?

- Ruben, não queiras comparar uma coisa com a outra! O David teve um relacionamento de quatro anos com a Carolina e eu nunca tive nada com o Diogo a não ser amizade! Mas olha, vou-me embora que senão ele ainda se vai embora sem mim - Brinquei com a situação, despedi-me de Ruben e fui para o carro onde David já se encontrava

- Estás a ser parvo... - Disse depois de algum tempo em silêncio - E não tens motivos nenhuns para ficares assim!

- O facto de o Diogo gostar de você e você ir passar o fim de semana com ele, 'cê acha que não são motivos?!

- E tu achas que vai acontecer alguma coisa?! É que se achas aviso-te que não me conheces assim tão bem

- Não acho que vai acontecer nada, confio em você! Apenas não confio nele!

- Por amo de Deus, vocês eram amigos antes de me conheceres! Acho parvo agora nem me quereres ver com ele! Até porque isso não ia acontecer visto que ele é o meu melhor amigo!

- 'Cê ia gostar que eu fosse falar com a Carolina?!

- Olha-me outro... - Disse recordando a conversa com o Ruben- Digo-te a ti o mesmo que disse ao Ruben! As situações são completamente diferentes, tu namoraste com a Carolina durante quatro anos e eu nunca namorei com o Diogo

- Nunca namorou com o Diogo porque você não quis!

- Fogo David! Porque é que estás assim?! Não vai acontecer nada comigo e com o Diogo nem amanha, nem depois nem nunca! Ele é o meu melhor amigo e merece uma explicação e quer tu queiras ou não a minha decisão está tomada, agora fica como quiseres! - David não me respondeu e eu também não lhe falei mais - Tens a noção de que a minha casa é para o outro lado não tens? - Disse quando vi que David em vez de virar á esquerda seguiu em frente

- Tenho, mas se a minha namorada vai estar longe de mim durante o fim-de-semana pelo menos fica comigo hoje! - Olhou-me pela primeira vez e sorrimos os dois

- Mas eu não tenho roupa comigo

- Uma camisola minha deve servir-lhe e depois amanha veste roupa nova em sua casa... - Arranjou solução. Continuamos em silêncio o resto da viagem apenas com o som da rádio, mas o ambiente já não estava tão pesado

Chegamos a casa de David relativamente rápido visto que não estava transito nenhum, David estacionou o carro na garagem e assim que entramos no elevador, agarrou-me pela cintura e beijou-me

- Já lhe tinha dito que sou muito ciumento? - Disse depois de quebrar o beijo, mas continuava agarrado a mim

- Acho que percebi por mim própria! - Rimos

- Não gosto de partilhar o que é meu!

- Ai é?

- Claro!

- E eu sou tua? - Perguntei quando já tínhamos entrado no seu apartamento

- Agora e para sempre! - Colou os nossos corpos e beijou-me apaixonadamente encostando-me á parede do corredor e assim que David pôs as suas mãos dentro da minha camisa, parei o beijo

- David... - Disse pondo a minha mão sob o seu peito - É demasiado cedo - Fiz uma pausa - E eu nunca... - Disse de cabeça baixa

- Meu amô, 'cê não tem que me dar explicações! - Levantou a minha cabeça e deu-me um suave beijo nos lábios - Por você espero o tempo que precisar!

- Prometes que nunca me deixas? Nem te cansas de mim? Nem me trocas? - Pedi já com as lágrimas nos olhos, David ia começar a falar mas continuei - Deixa-me acabar por favor! - Ele acenou com a cabeça e levou-me para o sofá da sala onde me sentou enroscadinha no seu colo - Eu sei que tenho um feitio complicada, sou ciumenta, sou teimosa, casmurra, birrenta, quando eu ponho uma coisa na cabeça tem que ser á minha maneira e se não for fico chateada, tenho mau acordar e quando estou com sono fico de mau humor e quando estou de mau humor ninguém pode falar comigo porque viro bicho, sou orgulhosa - os meus olhos estavam brilhantes, mas eu sabia que não ia chorar - Estás a ver os meus olhos? O brilhante que está? É o máximo que alguma vez irás ver, porque eu nunca choro! Sou uma pessoa que parte facilmente mas que dificilmente o dá a mostrar... Nunca dou o braço a torcer, ás vezes consigo ser mais criança que um puto de 6 anos, respondo torto na maior parte das vezes, gozo demasiado com as pessoas e sou capaz de ser a pessoa mais insensível que possas conhecer! Por isso promete-me que nunca me vais deixar, nem cansar de mim nem me trocar por favor!

- Meu amô, prometo isso tudo e muito mais! Não precisa de ter medo, vou estar consigo agora, amanha e sempre! - Beijou-me e apertou-me com força contra o seu peito. Conseguia sentir o seu coração e estar ali sabia-me bem, sentia-me aconchegada e em casa. - Mas porque isso agora princesa? - Perguntou-me depois de algum tempo em silêncio

- Porque foi por eu nunca querer avançar e de ser tudo o que te disse agora que o Rodrigo estava com outras... Porque eu não era o que ele queria e talvez seja tudo o que os homens não querem...

- 'Cê é tudo o que eu quero! Com todos os seus defeitos e com todas as suas qualidades! 'Cê só se vê com maus olhos... Porque é que 'cê só se foca nos seus defeitos? Acredite que tem imensas qualidades...

- Não tenho nenhumas...

- 'Cê é forte, provavelmente das pessoas mais fortes que já conheci... 'Cê sabe ser uma pessoa brincalhona mas também sabe quando ter uma conversa séria e como a ter... Sabe fazer sorrir e como alegrar o dia de uma pessoa, é amiga! É carinhosa e cuida do coração dos outros como se fosse o seu... Aliás, ás vezes 'cê se esquece do seu coração para cuidar do dos outros! Não é daquelas pessoas que diz "tudo vai passar" é daquelas pessoas que fica do seu lado e lhe mostra que tudo passa! 'Cê é linda por fora, mas por dentro tem uma beleza ainda maior! - Beijou-me na testa - Sabe o que mais me fascinou em você naquele dia lá no cabo? - Acenei com a cabeça em sinal negativo - A sua atitude de menina-mulher! Aliás, é o que mais me fascina em você até hoje! Isso e o seu sorriso, que é lindo claro...

- Obrigada - Disse levantando a minha cabeça e sorri-lhe. Ficamos assim durante mais algum tempo até que comecei a ficar com sono - Amor, tenho sono...

- Vem, vamo' dormir

- Emprestas-me uma camisola? - Pedi quando já estávamos no quarto

- Claro, tire uma daí do armário

Fui procurar uma camisola no armário, tentei procurar uma mais pequena mas eram todas do mesmo tamanho... Acabei por escolher então uma ao calhas

- Amor, importas-te que use esta? - Perguntei mostrando-lhe a camisola

- Não amô, eu vou só ali á casa de banho, pode vestir-se á vontade - Saiu do quarto mas não sem antes me dar um beijo na testa e sorrir-me

Tirei a roupa que tinha vestida e vesti a camisola de David, ficava-me grande, mas não assim tão grande como eu pensava pois ficava um pouco mais abaixo das nádegas... Estava a dobrar a minha roupa e quando me viro estava David a observar-me com um sorriso á porta do quarto

- Que foi?

- Nada, tava só olhando para você e pensando que tenho uma namorada perfeita - Eu ri-me

- Não sejas tonto!

- Estou falando sério

- Sim, sim pois! Anda dormir que o teu mal é sono!

- Vou dormir mas é com você! - Pegou-me ao colo, pousou-me na cama e começou a fazer-me cocegas

- David para vá lá por favor! - Disse já com as lágrimas nos olhos de tanto me rir

- Ena 'cê é mesmo fraquinha!

- Fraquinho és tu idiota!

- Ai é? - Perguntou voltando a aproximar-se de mim para me fazer cocegas

- Não, não, não, não, não! - Disse afastando-me para a beira da cama

- Vá, vem cá, vamo' dormir

Aproximei-me do David e acabamos por nos colocar em conchinha. Assim que o seu braço rodeou a minha cintura, fechei os olhos com um sorriso na cara e adormeci logo

3 comentários:

  1. Olá :D
    Adorei mais uma vez!
    Quero mais : )
    Beijinhos
    Ritááá xD

    ResponderEliminar
  2. Olá!
    Adorei como sempre (:
    Continua!
    beijinhos

    ResponderEliminar